20.2 C
Brasil
14 de outubro de 2019
Mobilidade

Cidades inteligentes será tema de evento em São Paulo

Cidades Inteligentes se faz com pessoas engajadas nas políticas públicas e nos projetos que serão determinantes do novo desenho das cidades. Para promover esse debate, o evento Smart City Business Brazil Congress & Expo 2019, que acontece em São Paulo, entre os dias 22 e 24 de junho, reunirá especialistas e executivos de empresas de tecnologia, prefeitos, secretários e governadores com foco em novas tecnologias e como elas irão impactar modelos e práticas disruptivas de mobilidade, segurança pública e infraestrutura viária.

As dificuldades para discutir o conceito de cidades inteligentes ainda são inúmeras, considerando, principalmente, os milhares de projetos de infraestrutura no Brasil que foram iniciados nas últimas décadas, sem conclusão ou sem prazo de entrega, seja por erro de projeto, licitações fraudulentas e superfaturamento nos contratos, conforme apontam relatórios do Tribunal de Contas da União (TCU).

Em contrapartida, estimativas de que a frota de carros do mundo deva crescer a uma média de 3% ao ano até 2030 e que mais de 75% da população mundial viverá em cidades até 2050, fica evidente que as megacidades deverão promover mudanças radicais de infraestrutura e logística nas próximas décadas, aliadas às novas tecnologias.

Para mapear as transformações recentes que têm o potencial de revolucionar a forma como vivemos e nos locomovemos, os participantes do evento vão acompanhar, inclusive as reuniões estratégicas entre especialistas do setor e autoridades.

Os que não puderem participar terão a oportunidade de acessar via online, após os três dias de evento, as principais propostas e ideias com o potencial de melhorar a segurança, a experiência do usuário e a sustentabilidade ambiental.

Cidades Inteligentes

As cidades precisarão de uma infraestrutura de mobilidade completamente integrada e inteligente.

Muitas cidades estão fazendo grandes avanços na prestação de transporte eficiente, como Londres, Hamburgo, Copenhague, Helsinque e Portland (Oregon, EUA). Cingapura se destaca como uma cidade que pode ser capaz de avançar em direção a esse ideal mais rapidamente, dado o seu tamanho compacto, sistema de transporte bem equilibrado, riqueza relativa e abordagem política ambiciosa.

Em um futuro não muito distante, as ruas poderão se tornar enormes painéis solares e recarregar os carros elétricos que trafegam sobre elas como em um Wi-Fi. No final de 2016, a França inaugurou um trecho de estrada com painéis solares, na vila de Tourouvre-au-Perche, noroeste da França, com 1 km de extensão. O projeto custou € 5 milhões.

Em janeiro de 2018, foi a vez da China inaugurar sua primeira “estrada solar” em Jinan, capital da província de Shandong. O trecho de 2 km pode converter a luz solar em eletricidade e transferi-la diretamente para a rede elétrica. Especialistas dizem que o custo é um dos principais empecilhos para a expansão do projeto. Cada metro quadrado da estrada tecnológica custou aproximadamente US$ 458, valor muito maior em comparação com o asfalto tradicional.

Cidades Inteligentes será tema de evento em São PauloTony Marshall, líder em negócios rodoviários da Arup, multinacional com sede em Londres, que presta consultoria de engenharia a projetos de diversos países, destaca que “projetos de infraestrutura devem reconhecer a importância das vias como um elemento único dentro de sistemas de transporte muito mais amplos”.

O uso dos patinetes elétricos em cidades brasileiras, assim como o das bicicletas, é um exemplo da demanda de planejamento para esse novo modelo de micromobilidade, visto que são modos saudáveis e sustentáveis de transporte.

Veja o Relatório da Arup sobre Cidades Vivas

Outras inovações poderão ainda viabilizar os processos de melhoria da infraestrutura e mobilidade como o concreto que irá auto-consertar rachaduras, através de determinadas bactérias. Drones monitorarão o sistema inteiro para otimizar seu funcionamento, e algoritmos analisarão todo o big data produzido para aumentar ainda mais a eficiência.

Todavia, ainda há grandes desafios para construir essa infraestrutura, a fim de cumprir o propósito de agregar valor e bem estar à vida das pessoas. Os fatores limitantes, entre outros, são a logística e o custo. Resta saber como as tecnologias poderão contribuir para a transformação urbana sustentável, que será um dos principais focos de especialistas mundiais, gestores públicos, executivos e líderes de iniciativas inovadoras durante o evento.

Espaços Temáticos

O Smart City Business Brazil aproveitou a área de 8 200 m2 para criar espaços temáticos que facilitam a interatividade como o Espaço Saúde que vai abrigar inovações em tecnologia para hospitais e instituições. O Espaço IoT mostrará a conectividade entre pessoas, objetos e máquinas. O Espaço AI para soluções em Inteligência Artificial.

O Espaço Cidades permitirá ver de perto e na prática as melhorias que o investimento em tecnologia com foco em desenvolvimento social pode agregar à população nas áreas de saúde, segurança, tráfego e zeladoria, entre outras. Para incentivar inovações nas cidades, o evento vai premiar projetos e iniciativas, reconhecidos e mensuráveis, que já contam com respostas tecnológicas para demandas da população.

Confira a programação completa do evento aqui

Related posts

Regulamentação das patinetes no espaço viário das cidades

Maria Alice Guedes

República Dominicana investe na melhoria do transporte público com aquisição de ônibus articulados

Maria Alice Guedes

A desafiante logística dos autônomos nas estradas brasileiras

Maria Alice Guedes

Deixe seu comentário