28.1 C
Brasil
7 de abril de 2020
Destaques Indústria

Indústria de Implementos Rodoviários deve obter melhores resultados em 2020

O ano de 2020 deverá ser melhor que 2019. A estimativa é do presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, Norberto Fabris, durante o encontro com a imprensa especializada realizado na 22ª Fenatran. “O ritmo de recuperação está consolidado e acreditamos que no próximo ano o ambiente de negócios tende a melhorar”, diz Fabris.

No encontro participaram também os vice-presidentes José Carlos Spricigo e Kimio Mori. Para Spricigo existem fatos que indicam que o setor em particular e a economia como um todo deverão apresentar desempenho melhor.

“A expectativa de juros reais de 1%, com mais uma safra recorde e o programa de investimentos em infraestrutura, anunciado pelo governo federal, permitem estimar um novo ano melhor do que o atual”, afirma.

As reformas em andamento deverão também refletir positivamente nos negócios. “A aprovação da reforma da previdência na Câmara já foi suficiente para aumentar as vendas de implementos rodoviários voltados para o transporte de produtos do varejo”, lembra Mori.

A previsão da ANFIR é atingir resultado aproximadamente 20% superior em comparação com 2018. Segundo Fabris, o País deverá ter mais uma safra recorde e para completar o governo federal já anunciou seu programa de investimentos em infraestrutura da ordem de R$ 144 bilhões. Todos esses fatores contribuem para alavancar as vendas de implementos rodoviários”, afirma.

Sobre política de incentivos, ele ressalta que “o assunto precisa ser bem pensado para que erros do passado, como os de juros baixos praticados em 2012 e 2013, que criaram crescimento artificial do mercado, não se repitam”, conclui.

Related posts

Desafios do comércio exterior são apresentados por empresas e autoridades

Redação Logística Brasil

Geração de energia eólica representa 9% da matriz elétrica brasileira

Maria Alice Guedes

Indústria de etanol de milho deve bater recorde 100 milhões de toneladas

Maria Alice Guedes

Deixe seu comentário