29.6 C
Brasil
8 de abril de 2020
Destaques Logística

Meta da Loggi é atingir 150 milhões de entregas mensais

startup de logística Loggi está demitindo e contratando às dezenas — em uma nova leva de reorganização interna. A companhia demitiu cerca de 60 funcionários de áreas como comercial e marketing. Na outra ponta, está com 150 vagas abertas em operações, tecnologia e experiência do cliente.

A meta estabelecida pela empresa no ano passado para os próximos três anos é multiplicar por 50 o número de entregas mensais, para algo como 150 milhões. Para isso, a companhia investe em automação de processos e em novas frentes de negócio — motivos que ajudam a explicar as demissões e contratações. Além de entregar qualquer produto dentro das cidades, a Loggi quer ampliar suas entregas nacionais, passando a competir mais diretamente com operadores logísticos.

Para as demissões, a Loggi alegou aos funcionários corte de custos e metas que não estavam sendo batidas. Procurada, a empresa não confirma o número de demissões. Em nota, a empresa afirmou apenas que “prioriza o equilíbrio financeiro e as boas práticas para um crescimento saudável”.

“A reestruturação da empresa foi necessária para seguir com eficiência e foco nas suas áreas de atuação. A empresa ressalta que segue com o compromisso de investimentos, alinhados ao seu plano de expansão e desenvolvimento de produtos. As contratações continuam, principalmente na área de tecnologia, inclusive em seu novo escritório, em Portugal“, diz o comunicado da Loggi.

Fundada em 2014 pelo francês Fabien Mendez em São Paulo para entregas curtas, a companhia cresceu cerca de 150% em 2019, tem mais de 1.000 funcionários e é avaliada em 1 bilhão de dólares. O serviço da startup cobre hoje 40% da população brasileira, conectando motofretistas a empresas que desejam fazer uma entrega.

Outra meta para este ano, segundo Mendez afirmou em novembro passado, é lançar oficialmente um braço de franqueados, batizado de Loggi Leve, projeto no qual a empresa trabalhou ao longo de 2019. O objetivo é usar as franquias para expandir os serviços de entregas para além das grandes cidades e alcançar os mais de 5.000 municípios do Brasil até o fim de 2020, fazendo entregas em até 48 horas mesmo em locais remotos.

Related posts

Caminhão mais rápido do mundo acelera com pneus Goodyear

Maria Alice Guedes

Jungheinrich quer instalar armazéns inteligentes no Brasil

Redação Logística Brasil

Quem são os caminhoneiros do Brasil? Conheça os desafios e reivindicações

Carlo Fracalanza

Deixe seu comentário