23.6 C
Brasil
14 de outubro de 2019
Tecnologia

Pfizer automatiza processos fiscais com Engineering

A farmacêutica Pfizer decidiu descontinuar o uso de sua solução fiscal em prol de ferramentas com mais maturidade no controle de seus processos. Para apoiar essa transição, a parceira escolhida foi a Engineering, companhia global de Tecnologia da Informação e Consultoria especializada em Transformação Digital, que está implementando suas soluções fiscais, tais como o DP-FISC 4.0, sistema totalmente nativo ao ERP SAP e seu robô fiscal Alfredo, que é baseado em RPA (Robotic Process Automation), além da plataforma de gestão fiscal da SAP, a TDF (Tax Declaration Framework).

“Pesquisamos soluções fiscais de mercado e concluímos que elas não eram preparadas para o TDF, pois, ao contrário do DP-Fisc 4.0, não são integradas nativamente ao sistema de gestão da SAP, ou seja, corrigem as inconsistências apenas na camada da ferramenta, e não diretamente no banco de dados do ERP, gerando duplicidade de informações e, consequentemente, retrabalhos “, explica Marta Lima, gerente tributária da Pfizer.

A primeira etapa do projeto envolveu o diagnóstico dos processos fiscais da Pfizer visando o desenvolvimento de melhorias e parametrizações no SAP ECC para a correta aderência ao TDF e melhor atendimento das obrigações.

“Construímos juntos um escopo de pré-requisitos para aprimorar alguns processos, como as automatizações dos cálculos de crédito de PIS, COFINS e CIAP para produtos da indústria farmacêutica, a automatização das Notas Fiscais, além das readequações e revisões para atender o REINF e o Bloco K, entre outras tributações”, pontua Cesar Kazakevicius, head de Tax Solutions da Engineering

Somente nesta etapa de melhorias e parametrizações, a Pfizer obteve redução de 30% no tempo de recebimento de notas fiscais, que agora estão automatizadas por meio de um painel eletrônico, possibilitando, também, a redução e detecção do número de erros, além da mensuração de documentos. “Conseguimos segregar compliance e finanças, dando foco correto para a estratégia da área, o que foi uma mudança cultural na empresa”, acrescenta Márcia.

A segunda fase do projeto compreende a ativação do TDF e do DP-Fisc 4.0 no SAP, possibilitando o atendimento a todas as suas obrigatoriedades fiscais, entre elas SPED-EFD (ICMS+IPI), SPED Contribuições (PIS/ Cofins), SPED ECF, SPED ECD, Bloco K, REINF etc.

Ainda que gerenciadas por sistemas que garantem a qualidade, o controle e a unicidade das informações, as obrigatoriedades dependem de um esforço manual para sua geração, por isso esta onda do projeto também prevê a implementação do robô fiscal Alfredo, que vai automatizar processos repetitivos e, com isso, corroborar para a migração de colaboradores para atividades mais analíticas.

Estamos passando por uma mudança cultural em nossa área fiscal e, de certa forma, nos desafiando a sair de um cenário operacional para controlar melhor as informações que geramos com foco em resultados”, finaliza Marta.

Related posts

Gêmeos digitais de operações de logística podem otimizar cadeia de suprimentos

Maria Alice Guedes

Raízen reduz acidente a nível zero com gestão e tecnologia

Maria Alice Guedes

EUA criam força-tarefa para evitar monopólios no mercado de tecnologia

Carlo Fracalanza

Deixe seu comentário