30.5 C
Brasil
17 de janeiro de 2020
Destaques Energia

Região Sudeste registra a maior alta para o etanol

Os motoristas da Região Sudeste foram impactados por mais um período de alta no preço da gasolina e do etanol, mostra o levantamento de agosto do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). O destaque foi para o etanol, que avançou 10% e foi comercializado a R$ 3,294. A gasolina também ficou mais cara, com o litro a R$ 4,585, que foi a média mais cara do País.

Mesmo com o cenário de alta, o estudo revela que o Sudeste tem o Estado com o menor valor médio para o etanol. Em São Paulo, o litro do combustível registrou a média de R$ 2,663.

Já na contramão, o Rio de Janeiro liderou a média mais cara para a gasolina, com o litro a R$ 4,859. “A exceção na região foi o recuo no preço do gás veicular natural (GNV), que ficou 2,9% mais barato para os motoristas. O diesel, tanto o comum quanto o S-10, também apresentou uma pequena baixa, mas que não chega a 1%”, destaca o Diretor-Geral de Frota e Soluções de Mobilidade da Edenred Brasil, Jean-Urbain Hubau (Jurb).

No recorte por Estado, o Rio de Janeiro de forma consecutiva concentra as maiores médias do etanol e da gasolina, com o litro vendido a R$ 3,801 e R$ 4,859, respectivamente. Por lá, o GNV foi o mais barato, R$ 3,108, ante os R$ 3,611 dos postos de Minas Gerais.

Em São Paulo, estão as menores médias para a gasolina (R$ 4,168), o etanol (R$ 2,663), o diesel comum (R$ 3,443) e o diesel S-10 (R$ 3,545). Já os motoristas do Espírito Santo pagaram pelo diesel comum e diesel S-10 mais caros da região, com o preço médio de R$ 3,623 e R$ 3,736, respectivamente.

No contexto nacional, com exceção do etanol e do gás veicular natural (GNV), foi um período de baixa no preço dos combustíveis nos postos de todo o País. Em agosto, o litro da gasolina registrou o recuo mais expressivo (1%), com o litro vendido a R$ 4,50, ante os R$ 4,544 de julho.

Já o etanol ficou 0,2% mais caro (R$ 3,54) e destaca-se pela variação de preços, que chega a 17%, quando a média da Região Centro-Oeste (R$ 3,103) é comparada com a da Região Norte (R$ 3,761). O GNV apresentou alta de 0,32%, comercializado a R$ 3,346, ante os R$ 3,336 do mês anterior.

Capitais – São Paulo e Rio de Janeiro

O levantamento de agosto revela que, de forma consecutiva, a zona sul do Rio permanece com os preços mais elevados da cidade. A gasolina, por exemplo, ultrapassa os R$ 5,00, ante os R$ 4,823 da zona norte. O mesmo ocorre com o etanol: os motoristas da zona norte pagam R$ 0,20 a menos que na zona sul.

Na capital paulista, os motoristas que abasteceram com gasolina nos postos da zona norte chegaram a pagar 2,6% mais barato pelo combustível, na comparação com as médias da zona oeste, onde o litro foi comercializado a R$ 4,208. Já a zona leste apresenta o menor preço médio do etanol, vendido a R$ 2,63, ante os R$ 2,712 dos postos do Centro. O levantamento ainda apresenta o preço médio dos combustíveis no Grande ABC: R$ 4,158 para a gasolina; R$ 2,693 para o etanol; e R$ 3,224 para o GNV (o maior preço médio no comparativo com as outras regiões paulistas).

O IPTL é um índice mensal de preços de combustíveis levantados com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados da Ticket Log, que traz grande índice de acerto, devido à quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com a média de oito transações por segundo. A Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, conta com 25 anos de experiência e se adapta às necessidades dos clientes, oferecendo soluções modernas e inovadoras, a fim de simplificar os processos diários.

Veja o comparativo por região:

Veja o comparativo por Estado:

Veja o comparativo do Rio de Janeiro:

Veja o comparativo de São Paulo:

Related posts

Warren Buffett aumenta participação na Delta Air Lines para quase 11%

Maria Alice Guedes

TruckPad anuncia investimento da chinesa Full Truck Alliance

Redação Logística Brasil

Capacidade de energia solar no Brasil avança mais de 10 vezes

Maria Alice Guedes

Deixe seu comentário