29.6 C
Brasil
8 de abril de 2020
Destaques Energia

Setor de distribuição de energia atrai interesse de empresa indiana

A empresa indiana de energia elétrica Sterlite Power, que se autodeclara como o maior investidor indiano no Brasil, sinalizou que poderá ir além do segmento de transmissão de energia no mercado brasileiro. O presidente global da companhia, Pratik Agarwal, afirmou em Nova Déli que poderá aproveitar as privatizações e expandir também no segmento de distribuição de energia. A venda da Eletrobras e de suas subsidiárias está no radar do governo, que pretende privatizar o grupo ainda neste ano.

Segundo o executivo, o engajamento da companhia no Brasil até agora é estimado em US$ 4 bilhões. A empresa já detém concessões para projetos de R$ 7,7 bilhões e os outros US$ 2 bilhões virão mais tarde.

Durante um seminário sobre energia com a presença dos ministros de energia do Brasil e da Índia, Agarwal elogiou a regulação, transparência e outros aspectos de se fazer negócios no país. Pouco antes, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, tomou a palavra no evento para destacar dois leilões na área de energia elétrica que ocorrerão em 2020, previstos para assegurar o fornecimento para 2024 e 2026.

Por sua vez, o ministro de Energia da Índia, R K Singh, conclamou investidores brasileiros a investir no setor de energia do seu país, acenando com regime regulatório estável para facilitar a atração de capital. Singh observou que a Índia é um dos países com mais rápido crescimento no consumo de energia no mundo.

Sterlite Power antecipa parte de LT no sul do país

A Sterlite Power energizou no início de janeiro o principal trecho do Projeto Vineyards, no Rio Grande do Sul (RS), integrando ao sistema elétrico do estado às linhas de 230 kV Lajeado 2 – Lajeado 3 e Lajeado 3 – Garibaldi, além da nova subestação de Lajeado 3 (230kV/69kV). A conclusão das obras confere melhorias para a qualidade de abastecimento elétrico no Vale do Taquari, região com alta demanda energética devido à atividade industrial.

Com a energização deste trecho acontecendo sem pendências técnicas, a energia está disponível no Sistema Interligado Nacional (SIN) e viabilizou à empresa solicitar ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) a emissão de seu Termo de Liberação Definitivo (TLD), que atesta a qualidade do projeto e permite à concessionária o recebimento proporcional da Receita Anual Permitida (RAP).

O projeto Vineyards é um dos dez conquistados pela Sterlite em leilões públicos da Aneel , possui 115 km de linhas de transmissão, implantação de duas novas subestações de 496 MVA e expansão de outras quatro nas regiões de Garibaldi, Bento Gonçalves, Lajeado e Bagé.

O investimento previsto no projeto é de R$395 milhões. O prazo do órgão regulador para que o trecho entre em operação é agosto de 2022, com isso a empresa acredita que Vineyards será entregue antes desse prazo.

Related posts

Governo lança edital para privatizar o serviço de transporte metroviário do Distrito Federal

Maria Alice Guedes

Azul compra a regional TwoFlex por R$ 123 milhões

Redação Logística Brasil

Rumo arrematou o leilão da Ferrovia Norte-Sul

Maria Alice Guedes

Deixe seu comentário