29.6 C
Brasil
8 de abril de 2020
Destaques Mobilidade

Startup de aluguel de veículos recebe aporte de R$ 380 milhões

A Vai.Car, startup de aluguel de veículos, recebeu um aporte de R$ 380 milhões liderado pela XP Investimentos com participação do Banco BMG, BTG Pactual (através do Boostlab) e Bossa Nova Investimentos. O recurso deve ser utilizado para expansão da empresa e ampliação da frota de carros.

Para JP Galvão, fundador da Vai.Car, o mercado brasileiro de mobilidade é um dos que mais cresce no mundo e o impacto da economia compartilhada vem se mostrando cada vez mais positivo para a sustentabilidade das cidades. “Esse movimento nos permite manter o foco no crescimento e tirar proveito desse cenário de expansão”, afirma o executivo.

A empresa afirmou que pretende ampliar sua frota para 25 mil veículos em até 18 meses. Em setembro do ano passado, a empresa já havia adquirido 800 unidades do Ford Ka Sedan, em operação que girou em torno de R$ 30 milhões. “Nossa proposta é simplificar o aluguel de carros e possibilitar maior acesso pela primeira vez a esse serviço”, afirmou Galvão.

Criada em Miami, a startup foi fundada em 2016 pelos brasileiros JP Galvão, Fernando Fiuza e pelo canadense Apoorv Gupta. No Brasil, a empresa foi  lançada em 30 de novembro de 2017, sob o comando de Hélio Netto, executivo com 30 anos de experiência no segmento de locação de carros.

Dentre as principais vantagens do serviço da Vai.Car estão o cadastro simplificado 100% pelo aplicativo, carro entregue na porta da casa, sem taxas escondidas, sem limite de quilometragem e ainda com facilidades na forma de pagamento. Além de cartão de crédito, a empresa aceita boleto bancário ou dinheiro. Para alugar um veículo na Vai.Car é preciso fechar um aluguel mensal com opção de pagamento semanal – em planos que começam em R$ 379, para carros como o Chevrolet Onix Joy 1.0. 

A empresa já realizou mais de 40 mil locações de carros. Um dos diferenciais da empresa, diz Netto, é seu algoritmo de aprovação dos motoristas, que cruza mais de 200 dados diferentes. A empresa também aceita transferências pela internet e boleto como forma de pagamento.

Em vez de alugar seus carros, a empresa também aposta em um modelo mais clássico: compra os veículos direto das montadoras. Além de motoristas, a empresa também atende o público comum – com foco especial nos usuários que não têm um carro, mas precisam dele para viajar no fim de semana. 

Galvão complementa que cada vez mais os negócios da empresa se empenharão em suprir a demanda do mercado dentro deste segmento de forma disruptiva.

Related posts

Sulista amplia investimento em pessoas e apresenta novo gerente de RH

Maria Alice Guedes

Internet das Coisas nos bastidores da logística

Maria Alice Guedes

Fras-le, Fremax e Controil chegam à Fenatran 2019 com soluções inovadoras

Redação Logística Brasil

Deixe seu comentário